Conheça os principais tratamentos naturais para a insônia

6 minutos para ler

Nos últimos anos, a ciência e a medicina investiram bastante em pesquisas com temáticas voltadas para a importância da qualidade do sono. Isso porque muitas pessoas estão em busca de tratamentos para a insônia, já que o problema impacta diretamente a saúde e o bem-estar geral.

Mas afinal, o que é insônia e por que ela surge? Como identificar os sintomas e saber quando buscar ajuda médica? Como diminuir as consequências da insônia? Se você quer esclarecer essas e outras dúvidas, este artigo vai ajudar bastante. Aproveite a leitura!

Afinal, qual a importância do sono saudável?

Do ponto de vista fisiológico, o sono tem um papel fundamental para a saúde do corpo e da mente. Enquanto dormimos, o cérebro desempenha importantes funções restauradoras do organismo. Entre elas, destaca-se a reparação celular e tecidual, que reduz o risco de desenvolvimento de doenças.

Para pessoas mais jovens, o sono também é importante para a liberação de hormônios do crescimento, que atuam sobre o crescimento ósseo e muscular. Já para quem tem mais idade, também é necessário dormir bem para fortalecer as funções cerebrais e a imunidade, bem como para prevenir enfermidades relacionadas ao envelhecimento.

Assim sendo, é preciso cultivar hábitos que favoreçam um repouso saudável. Mas isso depende de mudanças na sua rotina, pois o sono da noite é o reflexo das atividades que você realiza no dia. Portanto, dormir bem é crucial para a prevenção e a promoção da saúde em diferentes sentidos.

O que causa a insônia?

De modo geral, esse distúrbio é uma condição resultante de múltiplas causas. Diante disso, saber os motivos que levam à falta de sono — e que resultam em noites mal dormidas — é importante para identificar o tratamento da insônia do modo mais adequado para cada caso.

No entanto, vale lembrar que a ajuda médica especializada é necessária, pois nem sempre é possível perceber por conta própria o que provoca a alteração no sono. Assim, a insônia deve ser tratada com acompanhamento regular com especialistas.

Ainda que os distúrbios do sono também afetem os homens, nas mulheres, os problemas relacionados à ansiedade e insônia são mais comuns. Segundo um estudo da Universidade de McGill, no Canadá, uma das explicações para isso é que elas têm o relógio biológico programado para dormir e acordar mais cedo do que suas rotinas habituais permitem.

Listamos alguns dos fatores relacionados à falta de sono. Observe:

  • transtornos de ansiedade generalizada;
  • depressão e desordens emocionais semelhantes;
  • problemas hormonais;
  • cansaço ou estafa relacionada ao trabalho;
  • gestação;
  • problemas na qualidade da alimentação;
  • consumo excessivo de álcool e de cigarro;
  • uso de drogas ilícitas;
  • doenças crônicas.

Como a insônia pode prejudicar a saúde?

Mesmo que o padrão de sono seja individual, os profissionais de saúde aconselham a dormir de seis a oito horas por noite. Abaixo dessa média, o funcionamento ideal do organismo pode ficar comprometido e há mais chances de desenvolver diversas doenças, como mostra uma pesquisa divulgada pela BBC News.

De fato, a má qualidade do sono é muito prejudicial e coloca a saúde em risco. Em relação a isso, reunimos aqui as consequências mais comuns. Veja quais são!

Obesidade

Devido à importância do sono para o controle das funções do organismo, pessoas que dormem mal estão mais propensas ao ganho de peso, o que pode levar à obesidade. Isso vale para pessoas de todas as faixas etárias, inclusive para as crianças.

Diabetes

Um dos problemas resultantes da privação do sono é o descontrole dos níveis de açúcar no sangue. Essa função é realizada pelo hormônio insulina, que, quando desregulado, pode causar o desenvolvimento do diabetes tipo 2.

Doenças cardiovasculares

Quem não dorme bem corre o risco de forçar o trabalho do coração, pois o órgão não consegue se restabelecer para desempenhar suas funções no dia seguinte. Mesmo que continue bombeando sangue para o corpo de forma contínua, durante o sono, ele precisa diminuir o ritmo.

Além disso, a sequência de noites com poucas horas de sono contribui para o aumento da calcificação das artérias mais importantes do coração. Assim, uma das consequências do sono insuficiente é o surgimento de problemas como pressão alta e irregularidade nos batimentos cardíacos.

Gripes e resfriados constantes

O sono também tem a função de renovar a capacidade do corpo de combater doenças. Ou seja, quem tem insônia está mais vulnerável a infecções e a episódios mais frequentes de gripe e resfriado. Normalmente, tais quadros estão associados à privação do sono porque o repouso insuficiente compromete a imunidade do organismo.

Transtornos emocionais

A qualidade do sono também influencia bastante o estado de saúde mental e emocional. Indivíduos com desequilíbrios no sono têm mais tendência ao desenvolvimento de problemas psicológicos como depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e síndrome de pânico.

É possível tratar a insônia?

Sim. Os tratamentos para a insônia e a ansiedade podem ser feitos por meio de medicamentos fitoterápicos, medicamentos tradicionais, apoio psicoterápico e com outras alternativas naturais. Chás calmantes à base de erva-cidreira, erva-doce e camomila, por exemplo, podem induzir o sono.

Podemos iniciar por medicamentos à base de plantas medicinais, como a passiflora. Essa substância auxilia no controle da ansiedade e deixa a pessoa mais tranquila e em condições de dormir melhor. Logo, a recomendação dos profissionais de saúde é apostar em extratos fitoterápicos para combater a insônia e melhorar a qualidade do sono.

Como diminuir a insônia com mudanças na rotina?

Destacamos alguns bons hábitos para a hora de dormir que, paralelamente ao uso dos fitoterápicos indicados pelo seu médico, podem trazer ótimos resultados no combate à insônia. Observe:

  • evite o consumo de alimentos que roubam o sono, como chocolates, refrigerantes e café;
  • procure dormir em horários regulares para o corpo se acostumar a uma rotina de sono saudável;
  • faça atividades físicas regularmente, pois elas estimulam a produção de hormônios que estimulam o sono;
  • invista na higiene do sono, pois o ambiente, a iluminação e a qualidade do colchão merecem atenção especial;
  • evite o uso de telas antes de dormir, pois os eletrônicos despertam o cérebro e dificultam o sono.

Por fim, vale destacar que a ajuda médica é essencial para diagnosticar o problema e adotar os melhores tratamentos para insônia. Portanto, procure orientação profissional, pois é possível obter ótimos resultados por meio de remédios naturais que ajudam a dormir melhor.

Gostou deste conteúdo? Assine a nossa newsletter e receba mais novidades diretamente em seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário