O que pode causar irritabilidade constante e como obter o diagnóstico?

6 minutos para ler

Você se sente “perseguido” por uma irritabilidade constante e, às vezes, nem mesmo consegue identificar de imediato a razão por trás dela? Pois saiba que diversas condições relacionadas à saúde mental podem motivá-la e, por isso, é preciso estar atento a determinados sinais que podem indicar que não se trata de um estado de humor temporário, já que a sua permanência pode representar um dos sintomas de alguns distúrbios psíquicos, como a depressão.

Inclusive, essa preocupação é necessária também porque, quando em excesso, a irritabilidade tem o potencial de gerar diversas consequências negativas — até mesmo para a saúde física. Afinal, não se pode negar que viver em um “constante mau humor” altera todo o funcionamento do nosso organismo, deixando-nos mais suscetíveis ao desenvolvimento de variados distúrbios e doenças.

Considerando a relevância desse tema e o quão pouco reconhecida como um sintoma a irritabilidade constante é, decidimos elaborar este conteúdo falando um pouco sobre como ela se caracteriza, as causas relacionadas mais comuns, a forma como geralmente se dá o diagnóstico e como é possível mantê-la sob controle. Boa leitura!

O que se pode entender por irritabilidade constante?

A irritabilidade, de forma geral, caracteriza-se como um estado emocional — ou reativo — ocasionado por algum estímulo que pode vir a provocar, por exemplo, sentimentos de frustração ou raiva. Quando constante, essas sensações parecem estar sempre presentes.

Assim, comumente, a pessoa muda a sua forma de agir e o seu comportamento, podendo ter atitudes desagradáveis aos olhos daqueles que estão ao entorno e até surtos emocionais. Isso ocorre porque ela passa a ter menos controle sobre os próprios impulsos e sobre os seus sentimentos.

Quais são os seus sintomas e por que é tão fundamental estar atento a eles?

Embora os sintomas possam variar de indivíduo para indivíduo, é possível dividi-los em dois grupos, que são os físicos e os emocionais. Na primeira classificação, geralmente, em decorrência de uma desarmonia no organismo, é possível que surjam taquicardias, tremores, dores de cabeça, elevações da temperatura corporal, contrações musculares, entre outros.

Já na segunda, é muito comum observar baixos níveis de paciência e tolerância, de modo que até “pequenas coisas” podem gerar irritação, agressividade e manifestações de raiva, que podem envolver ou não o emprego de força física, e pensamentos negativos, por exemplo.

Nesse sentido, já é possível entender por que é tão fundamental estar atento a esses sinais, já que a irritabilidade excessiva, como dito, pode vir a gerar grandes prejuízos tanto para a saúde mental quanto para a física.

Além disso, porém, ainda há que se falar que a tendência das pessoas que sofrem com a condição é manter permanentemente uma postura negativa, o que, usualmente, causa estranhamento nas que estão ao seu redor e, em alguns casos, até o afastamento de familiares e amigos.

Quais são as causas mais comuns associadas à irritabilidade constante?

A condição pode ser decorrente de inúmeras causas, no entanto, geralmente, ela representa um indicativo de que a saúde emocional não vai bem. A seguir, confira algumas das motivações mais comuns.

Distúrbios do sono

Os distúrbios do sono podem ser definidos como perturbações que atingem a capacidade de adormecer, de dormir de maneira contínua ou de se manter acordado, incluindo até os chamados “comportamentos anômalos” durante o sono — como o sonambulismo. Embora existam outros, os mais comuns são a insônia e a sonolência em excesso.

Depressão

A depressão também pode ser uma das causas da irritabilidade constante. Ela pode ser definida como um transtorno psíquico caracterizado, geralmente, por uma tristeza de longa duração e bastante intensa.

Nesses casos, também é comum que outros sintomas sejam observados, como alterações na fala, no raciocínio lógico, na organização emocional etc., de modo que a doença pode chegar a comprometer as mais diversas esferas da vida, interferindo na capacidade de se relacionar, de trabalhar, de alimentar-se e mais.

Distimia

Conhecida também como “a doença do mau humor”, a distimia é uma espécie de depressão de forma crônica e muito incapacitante, tendo como um dos seus principiais sintomas a irritabilidade diária. Outros sinais também costumam surgir, como isolamento social, choro fácil, dificuldade de concentração, falta de energia e/ou fadiga etc.

Transtornos de ansiedade

Os distúrbios ligados à ansiedade são alguns dos mais frequentes tipos de transtorno de saúde mental e podem abranger ataques e síndromes de pânico, transtorno de ansiedade generalizada (TAG) e transtornos fóbicos mais específicos.

Síndrome de Burnout

Também conhecida como “Síndrome do Esgotamento Profissional”, a síndrome de Burnout é um distúrbio emocional comumente causado por excesso de trabalho. Ela apresenta diversos sintomas — além da irritabilidade constante —, como extrema exaustão e uma grande sensação de esgotamento físico.

Como acontece o diagnóstico?

Geralmente, em um primeiro momento, a própria pessoa consegue reconhecer — ou é alertada pelas que estão ao seu entorno — o seu estado de irritação constante, envolvendo, muitas vezes, reações desproporcionais a situações inconvenientes do cotidiano. A partir de então, o ideal é procurar um profissional habilitado para confirmar a condição e buscar o diagnóstico do distúrbio atrelado a ela.

Como é possível controlar a irritabilidade constante?

Como dito, o primeiro passo é sempre buscar um profissional da área da saúde para receber um diagnóstico correto e, a partir daí, uma orientação acerca do melhor caminho a seguir como uma linha de tratamento.

Comumente, a psicoterapia é recomendada e muito bem-vinda, no entanto, a administração de calmantes fitoterápicos pode ser uma grande aliada como um complemento para atenuar não apenas a irritabilidade constante, mas também os demais sintomas desencadeados pelo transtorno causador da condição.

Além disso, essa também é uma excelente alternativa para evitar medicamentos mais “agressivos”, que, em determinadas circunstâncias, podem gerar efeitos colaterais desagradáveis e, posteriormente, um “desmame” mais dificultoso.

Como você pôde ver, embora situações inconvenientes, em determinados momentos, possam causar uma irritação natural, um estado de irritabilidade constante, ao ser observado, deve “ligar o alerta” em razão de comumente estar associado a outras condições relacionadas à saúde mental, como distúrbios psíquicos.

Por isso, é fundamental manter-se atento aos sintomas listados no texto e, se necessário, buscar ajuda médica a fim de receber um diagnóstico correto e uma orientação adequada para o tratamento necessário, como a administração de calmantes fitoterápicos.

Este conteúdo foi útil? Então, que tal aproveitar a visita ao blog e compartilhá-lo nas suas redes sociais para que mais pessoas possam ficar por dentro do tema?

Posts relacionados

Deixe um comentário