Calmantes naturais para insônia: como é possível tratar?

6 minutos para ler

Conforme os dados levantados por uma pesquisa conduzida pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), 65% dos participantes relataram ter um sono de baixa qualidade. Foram 2.635 entrevistas, com mulheres e homens acima de 18 anos, realizadas no Brasil, e 34% dos brasileiros entrevistados afirmaram sofrer de insônia.

Essas informações apenas reforçam o quanto a condição (ou a dificuldade para adormecer) é comum e atinge indivíduos das mais diversas classes e de todas as idades. Contudo, uma das maiores problemáticas por trás desse quadro é a frequente associação com o surgimento de diversos distúrbios, como a depressão e a ansiedade.

Por esse motivo, é fundamental que haja uma atuação — primordialmente preventiva, se viável — a fim de evitar a evolução para transtornos que requerem um acompanhamento em longo prazo por parte de profissionais da área da saúde especializados e, por vezes, até mesmo uma intervenção medicamentosa mais “agressiva”. Nesse sentido, os calmantes naturais para insônia podem constituir uma excelente alternativa. Continue a leitura e informe-se sobre eles!

O que se entende por insônia, quais são as suas causas e como ela impacta a saúde?

É possível definir a insônia, em termos simples, como a dificuldade enfrentada para adormecer ou permanecer dormindo, incluindo até mesmo o despertar precoce — circunstâncias que geram insatisfação com a qualidade ou com a quantidade de sono. As causas por trás da condição podem ser as mais diversas, desde preocupações excessivas até mudanças no espaço em que se dorme, bem como eventos recentes do cotidiano.

Fato é que as noites mal dormidas geram impactos negativos, comprometendo tanto a capacidade cognitiva quanto a capacidade lógica dos indivíduos. Por sua vez, isso reflete em várias áreas, como a comportamental, a social, a educacional, a ocupacional e outras tantas relativas à funcionalidade, o que reforça a necessidade de buscar meios de tratamento tão rapidamente quanto possível.

Além disso, como dito, há uma elevação dos riscos de desenvolver alguns distúrbios ou hábitos autodestrutivos, como:

  • ansiedade e depressão;
  • ideação suicida;
  • dores crônicas;
  • abuso de substâncias e até automedicação.

Como é possível fazer uso de calmantes naturais para insônia?

Tradicionalmente conhecidos como fitoterápicos, os calmantes naturais podem representar um excelente recurso de tratamento para a condição. Comumente, eles são medicamentos feitos a partir de plantas medicinais, como a Passiflora incarnata L — ou flor-da-paixão —, compostos por princípios ativos que podem ser utilizados para auxiliar no enfrentamento de um sem-número de quadros clínicos.

Geralmente, eles atuam na redução da ansiedade e provocam a sedação, elevando o tempo de sono dos pacientes. A própria Passiflora, princípio ativo presente tanto no Pasalix® quanto no Pasalix® PI, ambos comercializados pela Marjan Farma, é originária do maracujazeiro e está entre os calmantes naturais para insônia mais utilizados.

Ambos se apresentam na forma de comprimidos revestidos. O Pasalix® contém 100 mg de extrato seco de Passiflora incarnata L., 30 mg de extrato seco de Crataegus rhipidophylla Gand e 100 mg de extrato seco de Salix alba L. Recomenda-se ingerir de um a dois comprimidos revestidos, uma ou duas vezes ao dia, via oral, para o tratamento de ansiedade e insônia.

O Pasalix® PI, por sua vez, contém 500 mg de extrato seco de Passiflora incarnata, sendo indicado para o tratamento de estados de agitação nervosa, estados de irritabilidade, desordens de ansiedade e quadros de insônia. O recomendado é ingerir dois comprimidos uma vez ao dia, por via oral.

Quais são as outras práticas que podem ser adotadas em conjunto com a administração dos fitoterápicos?

Paralelamente à administração de medicamentos fitoterápicos, é interessante ressaltar que há outras boas práticas que podem ser inseridas na rotina para auxiliar na melhora da qualidade do sono, auxiliando a regulá-lo e, inclusive, facilitando o atingimento do estado de relaxamento mais profundo. Veja alguns exemplos.

Estabeleça um horário para ir para a cama

O ideal é dormir aproximadamente oito horas diárias para estar bem e alerta no dia seguinte. Por isso, é interessante não dormir muito tarde, principalmente aquelas pessoas que precisam acordar cedo, mantendo os horários e a rotina mesmo durante os fins de semana e os feriados.

Mantenha o ambiente escuro

Antes de se deitar, é altamente recomendável apagar todas as luzes e, se for necessário, deixar que apenas um abajur fique ligado — preferencialmente com uma luz quente, em tom amarelado, que favorece o relaxamento. Uma alternativa pode ser, em vez de acender um abajur, optar por uma vela, que pode promover o mesmo efeito “calmante”. O que é realmente fundamental é tornar o espaço aconchegante para estimular o sono e ter uma noite de qualidade.

Evite tomar café (e similares) algumas horas antes de se deitar

A ingestão de bebidas com efeitos estimulantes deve ser evitada — como o próprio café, o chá preto e o chá verde, entre outras —, pois é possível que elas atuem no organismo humano deixando o indivíduo mais desperto e, consequentemente, dificultando o adormecer. Além disso, também é interessante não ingerir altas quantidades de comida ou alimentos pesados ao anoitecer.

Experimente o uso de óleos essenciais relaxantes

A utilização de óleos essenciais, como a lavanda, pode ter um efeito relaxante e altamente calmante. Isso acontece porque, quando os inspiramos profundamente, o nosso cérebro recebe uma quantidade maior de oxigênio e a produção hormonal é estimulada, o que ajuda a promover a sensação de relaxamento e de bem-estar e, por consequência, favorece o sono. Então, uma boa dica é, por exemplo, pingar de duas a três gotas do óleo no travesseiro ou até no pijama antes de se deitar ou pulverizá-lo no cômodo por meio de difusores.

Como você viu, para evitar que quadros de distúrbios do sono evoluam para outros transtornos mais graves, é fundamental buscar um tratamento tão rápido quanto possível. Além disso, uma boa alternativa para evitar a administração de medicamentos mais “agressivos” é optar por calmantes naturais para insônia. Nesse sentido, tanto o Pasalix® PI quanto o Pasalix® podem ser excelentes escolhas.

Em simultâneo, ainda pode ser válido adotar algumas boas práticas, mudando hábitos rotineiros, a fim de contribuir para ter noites mais bem-dormidas, com um sono de maior qualidade.

Agora, se você quer saber um pouco mais a respeito dos medicamentos fitoterápicos mencionados neste conteúdo — Pasalix® PI e Pasalix®, que dispensam prescrição —, acesse o site da Marjan Farma, que já atua no mercado há 59 anos e trabalha com o desenvolvimento de soluções terapêuticas inovadoras!

Posts relacionados

Deixe um comentário